Compartilhe

SEMANA DE MODA MILÃO

E chegamos à semana de moda de Milão. Em geral, aqui reina a alfaiataria e as peças comerciais. Este inverno 2015/6 também foi assim. Em um momento da moda onde tudo vale, característica que deriva da grande difusão de informação estética das redes sociais, as marcas se especializam em criar o que fazem de melhor buscando vingar seu DNA.

Mas o que fazer quando não se tem mais um DNA, como acontece com a Gucci que perdeu sua designer de 12 anos, Frida Giannini? Se busca o “Cool factor”. Ou seja, ser cool! Pois isto é exatamente o que o mundo da moda acredita ser o tesouro no fim do proverbial arco-íris! O novo designer, Alessandro Michele, trouxe um hippie chic à passarela da Gucci que é cool, hip, original e quebra completamente com o passado.

Mas também tem quem sabe exatamente o que são. Este é o caso da Dolce & Gabbana. A cada estação, eles escolhem um tema e o desenvolvem sobre modelagens que são seus best sellers. Nesta estação, a inspiração veio da “Mamma”! Ao som da conçonetta italiana “Viva la mamma!” vimos na passarela peças com rosas (que os filhos dão às mães) e outras com estampas de desenhos de crianças, inclusive dos dois estilistas! Vários fashionistas saíram lacrimejando!

Se se deve encontrar uma tendência, pode-se dizer que na Dolce & Gabbana, como também no importante desfile da Prada, viu-se o uso de tecidos que parecem neoprene mas que na verdade são malhas duplas. O objetivo é criar modelagens que parecem com alta costura, estruturadas, mas com um feeling contemporâneo.

E o outro ponto forte da semana foi o lamé e lurex. No desfile da Blumarine isto ficou muito claro!

Espero que gostem!
Até breve,
Consuelo.

Postado em: 06/03/2015

Veja também