Compartilhe

BERLIM-CICATRIZES

Berlim carrega as suas cicatrizes com orgulho e, certamente, nenhuma indiferença.  Uma cidade que teve que se reconstruir duas vezes, inicialmente da destruição da guerra e depois de uma divisão forçada, construiu obras primas de arquitetura e engenharia, de beleza e sensibilidade, que ilustram e abrem o caminho a um futuro emocionante. Nisto, escolheram deixar algumas cicatrizes visíveis que servem para não esquecer e para saber de onde tiraram a coragem para recomeçar.

Um destes grandes exemplos foi a obra da arquiteta Ursula Wilms (Heinle, Wischer and Partner) e do paisagista e professor Heinz W. Hallmann (Aachen), que está muito próximo a uma parte do muro que ainda existe.  Chamada de “Topografia do Terror” e construída sobre onde era a sede da terrível “SS”, serviço secreto do partido Nazista, este lindo espaço prefere ser conhecido como um centro de documentação ao invés de um museu.  Foi aberto em maio de 2010.

Foto 1: O que resta do muro de Berlim, esburacado pela população em 1989 que quis fazer parte do momento histórico e se “re-apropriar” de seu país, martelada por martelada.
Foto 2: O prédio, lindo, se integra com um berro calado.  Não sei se foi o longo dia ou a emoção do local, mas estava acabada.
Foto 3/4: Dentro, a luz explode em linhas geométricas que definem o espaço.
Foto 5: Achei o auditório deslumbrante!
Foto 6: No centro, o pátio se enterra um andar abaixo.

Mais em: Consueloblog

Consuelo Pascolato Blocker
Postado em: 11/08/2011

Veja também